Aba 1

Trupe da Kuki Clínica Veterinária
E-mail
Resolva :

Postado em 28 de Março de 2017 às 05h00

Beijar seu pet faz mal: mito ou verdade?

Trupe da Kuki Clínica Veterinária Embora se fale muito sobre não beijar seu animal de estimação, é importante destacar que essa pergunta não é tão fácil de ser respondida. É...

Embora se fale muito sobre não beijar seu animal de estimação, é importante destacar que essa pergunta não é tão fácil de ser respondida. É imprescindível pensar sobre isso. Beijar seu pet pode sim, trazer riscos não apenas para a sua saúde, mas para a dele também.

“Devemos lembrar que cães mantém contato oral entre eles. É um comportamento natural. E isso se repete nos seres humanos. Por isso tantas pessoas beijam na boca seus cães e até de outras pessoas”, explica o médico veterinário José Mourino.
É importante lembrar que toda a flora bacteriana será passada entre ambos durante um beijo. Beijar seu pet é perigoso exatamente por causa disso, porque significa que as bactérias do cão irão para a boca da pessoa. E as da pessoa, para a boca do cão.
Parasitas
Além das bactérias, é importante lembrar que indivíduos parasitados também podem passar doenças.

A giárdia, um protozoário microscópico que parasita o intestino de mamíferos, é rotineira em cães e pode transmitido para humanos, causando problemas graves. E esse é só um exemplo.

E se quiser continuar a beijar seu pet?
Sabendo disso, a decisão de beijar seu animal de estimação deverá ser feita de forma consciente. Existem precauções que podem ajudar neste caso.
“A sugestão é que se essa prática for mantida, ambos os indivíduos devem manter a saúde oral em dia com escavação de dentes e visitas periódicas aos dentistas humanos e veterinários”, explica Mourino.

Além disso, é recomendado que, caso a prática continue, o animal e seu dono devem fazer exames de fezes periódicos para garantir que os ricos permanecem mínimos.

Veja também

cachorro nutrição saúde Cães idosos com Alzheimer: Como tratar25/07/17 Após os sete anos de idade, alguns cães podem começar a apresentar comportamentos diferentes, como agressividade, fobias, ansiedade de separação, além de comportamentos compulsivos ou repetitivos. Esses são alguns sintomas associados à Síndrome da Disfunção Cognitiva, popularmente conhecida como “Alzheimer dos animais”. Nos......
8 dicas para tratar queda de pelo de cachorro19/02 A queda de pelo de cachorro acontece, naturalmente, devido à troca de pelos, que é um processo natural, com maior intensidade nas épocas de verão e inverno. Com a troca, ocorre é claro, a queda de pelo,......
Bebê novo em casa! Como meu cachorro vai lidar?21/02/17 Novidades em casa: um bebê está chegando! Isso mesmo, seu cachorrinho vai ganhar um irmão humano! Já posso até imaginar a farra que os dois farão juntos com todos aqueles brinquedos espalhados pela casa e as......

Voltar para Blog