Aba 1

Trupe da Kuki Clínica Veterinária
E-mail
Resolva :

Postado em 24 de Janeiro de 2017 às 08h51

Saiba tudo sobre a Doença: Giárdia

Trupe da Kuki Clínica Veterinária A giárdia ou giardíase é uma doença intestinal causada por um protozoário. Existem algumas espécies de giárdia, mas falaremos da mais comum e preocupante em...

A giárdia ou giardíase é uma doença intestinal causada por um protozoário. Existem algumas espécies de giárdia, mas falaremos da mais comum e preocupante em cães, chamada Giardia duodenalis (também conhecida por G. intestinalis ou G. lamblia). Além de causar danos à saúde dos cães, o protozoário pode infectar gatos e outros mamíferos, incluindo o homem, portanto se trata de uma zoonose, de importância mundial. Pode acometer animais de todas as idades e sexo, porém a prevalência é maior em animais jovens, sem resistência imunológica, com doença recorrente, estresse ou nutrição inadequada.

O parasita possui duas formas principais: a forma de trofozoíto, sendo esse o responsável pela enfermidade nos animais e a forma de cisto, que é a forma contaminante.

A transmissão geralmente é indireta e acontece pela ingestão de água e/ou alimentos contaminados com cistos provenientes das fezes de outro indivíduo doente, mas existe a possibilidade de transmissão direta quando há contato entre indivíduos contaminados, principalmente em locais onde tenha superpopulação. Os cistos sobrevivem por muito tempo no ambiente e, desta forma, são fonte de contaminação e principalmente reinfestação para os animais.

Os sintomas da giárdia são comuns em animais filhotes e pouco frequentes em adultos. Dentre eles podemos destacar a diarreia intermitente, comprometendo a digestão e absorção de alimentos e nutrientes, o que leva o animal à desidratação, perda de peso, em alguns casos pode retardar o crescimento e levar à óbito. Náuseas, vômitos, febre, depressão, dores abdominais, flatulência também podem ser percebidos. No seres humanos, os sintomas são semelhantes, mas algumas pessoas podem ser assintomáticas.

Os sinais não são específicos, ou seja, se assemelham à outras enfermidades que podem ser confundidas entre si, portanto somente o Médico Veterinário pode diferenciar e diagnosticar essa e qualquer outra doença. Nesse caso, o exame clínico associado com os relatos feitos pelo proprietário do animal podem levantar suspeitas de giárdia, mas o diagnóstico só vai ser comprovado através de exame laboratorial, geralmente pela identificação dos cistos nas fezes.

O tratamento da giardíase é feito com antibiótico e/ou anti-helmínticos e deve ser indicado por um Médico Veterinário. Dependendo da gravidade e do protocolo instituído por ele, pode-se fazer o necessário o uso da terapia de suporte, que inclui fluidoterapia, alteração na dieta, antieméticos, protetores gástricos e internação intensiva.

É uma doença frequente em animais domésticos, o que a torna um problema comum na rotina de Clínicas e Hospitais Veterinários. Muitas pessoas subestimam a giárdia, porém vale lembrar que por conta dela muitos animais vêm à óbito! E diante dos riscos, é imprescindível proteger e prevenir os animais de estimação e também toda a família.

Quando se trata de prevenção, a palavra-chave é higiene. No que diz respeito ao ambiente, vale salientar alguns pontos, tais como: os cistos são inativados pela maioria dos compostos de amônia quaternária, água sanitária, vapor e água fervente; deve-se lavar comedouros/bebedouros diariamente, podendo utilizar um dos produtos citados; fazer a remoção imediata das fezes do animal do solo ou trocar jornais com frequência; entre outras medidas. Já falando de higiene pessoal, devemos lembrar das boas práticas que aprendemos desde crianças: lavar os alimentos antes de consumi-los; redobrar o cuidado com água; lavar as mãos antes e depois de ir ao banheiro, entrar em contato com os animais e/ou se alimentar; entre outras. Com relação à prevenção dos nossos pets, é imprescindível realizar a vermifugação periódica; manter a vacinação em dia; fazer acompanhamento veterinário, visando diagnósticos precoces com maior possibilidade de sucesso nos tratamentos e claro, adotar medidas de higiene, como já mencionado.

Veja também

Dicas Para seu amiguinho ter uma vida mais saudável23/09/15 Fêmeas gestantes Os cuidados com as fêmeas devem começar antes da fase de acasalamento, quando se prepara a fêmea para a gestação. É importante que ela esteja com todas as vacinas em dia, devidamente vermifugada e bem alimentada, para suprir as necessidades de uma futura gestante. Deve-se escolher um macho igualmente saudável, pois a saúde dos pais vai......
Cinco considerações ao adotar um cachorro de rua06/11/17 A adoção de cachorros de rua vem tomando proporções muito maiores do que tinha há alguns anos. O que pouca gente sabe e considera é que muitos dos cachorros que estão para a adoção......
4 dicas cuidar bem do seu pet no inverno28/04/17 Animais mais velhos e filhotes são os que mais sofrem na época mais fria do ano, exigindo cuidados especiais Nos dias mais frios os cuidados com os pets devem ser redobrados, afinal, o fato de eles serem cobertos de pelos não......

Voltar para Blog