Aba 1

Trupe da Kuki Clínica Veterinária
E-mail
Resolva :

Postado em 17 de Junho de 2018 às 19h31

Tipos de carrapatos

Dicas (30)Cães (19)
Trupe da Kuki Clínica Veterinária Ao contrário do que muita gente pensa, carrapatos não são insetos e sim aracnídeos, ou seja, parentes das aranhas e escorpiões. Esses pequenos parasitas podem ser bem perigosos...

Ao contrário do que muita gente pensa, carrapatos não são insetos e sim aracnídeos, ou seja, parentes das aranhas e escorpiões. Esses pequenos parasitas podem ser bem perigosos tanto para humanos quanto para animais por transmitirem diversas doenças. Vamos falar um pouco sobre os tipos de carrapatos e como mantê-los longe de nossos pets.

Ciclo do carrapato
 Esses parasitas são extremamente antigos, estima-se que tenham surgido há mais de 90 milhões de anos. São mais de 800 espécies no mundo todo, mas nem todas transmitem doenças (ainda bem, né?).
Os carrapatos procuram lugares quentes e húmidos para ficar, além de sangue para se alimentar. Por isso as regiões do cachorro mais “atacadas” são as patas (entre os dedos e coxins), orelhas e no pescoço.
Um mito sobre o comportamento dos carrapatos é o de que eles ficam apenas em áreas rurais ou ambientes abertos com muita grama. A verdade é que eles também habitam áreas urbanas e muitas vezes se abrigam em muros e frestas de porta para reprodução.
Tipos de carrapatos
 Duas espécies são as mais encontradas e perigosas para nossos pets (e também para nós, humanos). O carrapato-estrela e o carrapato-vermelho-do-cão.
Carrapato-estrela costuma se hospedar mais em cavalos e capivaras, mas pode também atacar cães e até mesmo humanos. Essa espécie é responsável por transmitir a febre maculosa que atinge os animais e também os humanos. Esse parasita é mais frequentemente encontrado em áreas com densa vegetação. Vale lembrar que essa doença não é transmitida do pet direto para os humanos ou vice-versa. A transmissão é feita através da picada do carrapato hospedeiro desta bactéria.
O carrapato-vermelho-do-cão é o parasita mais comum e também o mais preocupante, já que é facilmente encontrado em áreas urbanas. Essa espécie é a hospedeira de doenças perigosas como a Babesiose, Doença de Lyme e principalmente a Erlichiose, ou “doença do carrapato” uma doença que não é difícil de acometer nossos bichinhos e pode ser fatal se não for tratada logo. Você pode ler mais sobre a doença do carrapato
Como retirar um carrapato
Ao avistar um carrapato agarrado em seu bichinho, você deve removê-lo o mais rápido possível. Além das doenças que eles podem transmitir, também causam muita coceira e incômodos.
Então, pegue uma pinça e segure o carrapato o mais próximo possível da pele do animal. Puxe de forma firme e em linha reta para que o parasita se solte. Pode acontecer de a cabeça do carrapato ficar presa na pele do cão e isso nem sempre é um problema, acaba saindo de forma natural. No entanto, de qualquer forma, o carrapato estava ali e, como já tinha picado o animal, se ele estiver infectado pode muito bem ter transmitido alguma doença para seu bichinho. Por isso o mais indicado é que o animal seja levado ao veterinário para que ele faça uma avaliação e certifique-se de que o animal está saudável. Além disso, ele também vai observar onde o carrapato esteve, indicar uma pomada para uma possível ferida que ali esteve e orientar procedimentos pra evitar infecções.

Veja também

Cachorro gripado: sintomas e tratamentos31/07/17 Se tem uma coisa que nós humanos já estamos acostumados é pegar aquela tradicional gripe pelo menos uma vez por ano, né? Nariz escorrendo, tosse, espirro, moleza no corpo e às vezes até febre. Pois saiba que nossos amados peludos também podem ficar assim. Veja a seguir sintomas e tratamentos para o seu cachorro gripado: Contágio de gripe entre os......
8 dicas para tratar queda de pelo de cachorro19/02/18 A queda de pelo de cachorro acontece, naturalmente, devido à troca de pelos, que é um processo natural, com maior intensidade nas épocas de verão e inverno. Com a troca, ocorre é claro, a queda de pelo,......
Beijar seu pet faz mal: mito ou verdade?28/03/17 Embora se fale muito sobre não beijar seu animal de estimação, é importante destacar que essa pergunta não é tão fácil de ser respondida. É imprescindível pensar sobre isso. Beijar seu pet......

Voltar para Blog