Aba 1

Trupe da Kuki Clínica Veterinária
E-mail
Resolva :

Postado em 24 de Janeiro às 10h53

Tipos de Sarna

Notícias (17)
Trupe da Kuki Clínica Veterinária Existem diversas doenças de pele que acometem cães e gatos, com causas variadas. Você conhece os tipos de sarna? A frequência dessas doenças é alta e os sintomas...
Existem diversas doenças de pele que acometem cães e gatos, com causas variadas. Você conhece os tipos de sarna? A frequência dessas doenças é alta e os sintomas geralmente são semelhantes, tais como prurido (coceira), vermelhidão, crostas, queda de pelos, etc. Somente o Médico Veterinário pode diagnosticá-las através de consulta e exames, por isso quando notar alguma alteração na pele, procure o melhor amigo do seu animalzinho!
As sarnas são doenças de pele muito conhecidas, causadas por ácaros (parasitas que “habitam” na pele dos cães e gatos em diversas localizações). Vamos falar dos três tipos mais comuns nessas espécies: a Sarna Sarcóptica (causada pelo ácaro Sarcoptes Scabiei); a Sarna Otodécica (causada pelo ácaro Otodectes cynotis); e a Sarna Demodécica (causada pelo ácaro Demodex canis).
A Sarna Sarcóptica ou Escabiose (ácaro Sarcoptes scabiei) acomete cães e gatos, porém é mais rara em gatos. O ácaro perfura a pele dos animais, formando túneis, provocando coceira intensa, crostas, erupções avermelhadas na pele, queda de pelos e algumas vezes infecção secundária. É altamente contagiosa e também se trata de uma zoonose, ou seja, é uma doença que pode ser transmitida dos animais para os seres humanos. A transmissão ocorre pelo contato direto, em todas as épocas do ano.
Sarna Otodécica ou Sarna de Ouvido (ácaro Otodectes cynotis) é transmissível entre cães e gatos por contato direto. O ácaro fica na superfície dos ouvidos e na parte interna das orelhas, alimentando-se de restos celulares. Causa coceira intensa (às vezes ao ponto do animal se machucar e apresentar lesões), balanço de cabeça, acúmulo de cerúmen (cera), bastante irritação local e às vezes pode haver infecção bacteriana secundária, causando otite. As lesões podem atingir outras partes do corpo se o animal não for tratado.
Sarna Demodécica ou Sarna Negra (ácaro Demodex canis) atinge principalmente os cães. O ácaro faz parte da fauna normal da pele canina saudável, presente em pequenos números, próximos aos folículos pilosos. É uma doença que depende de fatores como estresse, estado imunológico e genética. Estes fatores favorecem a reprodução e o aumento do número destes ácaros, ocasionando lesões com queda de pelo, descamação, crostas, vermelhidão da pele, podendo haver infecção de pele secundária. Pode ser localizada ou generalizada, não provoca coceira e não é contagiosa, sendo transmissível apenas da fêmea para os filhotes nos primeiros 3 dias de vida. Por esse motivo, é imprescindível a castração dos animais acometidos. É uma doença que não tem cura total, mas pode ser controlada.
Como dito anteriormente, o diagnóstico de sarna e o tipo de sarna deve ser feito apenas pelo Médico Veterinário, pois existem outras doenças com sintomas semelhantes que podem ser confundidas a olho nu. Normalmente é feito através dos sinais clínicos e exames comprobatórios, como raspado de pele e observação do ácaro através de microscópio.

 

 

O pensamento da grande maioria das pessoas é de que somente os cães e gatos de rua possam adquirir essas doenças, mas não! Os animais de dentro de casa e até mesmo os de apartamento estão vulneráveis a contrair, uma vez que os agentes das sarnas se encontram também em tapetes, estofados, caminhas, cobertores, brinquedos, etc.
O tratamento indicado pelo Médico Veterinário geralmente é feito com produtos tópicos e gera resultados bastante satisfatórios. Em alguns casos, recomenda-se banho com shampoo especial e apenas nos casos mais graves faz-se o uso de medicamentos injetáveis e/ou orais. Alguns cuidados devem ser tomados com relação às sarnas contagiosas, como separar os animais contaminados dos sadios, usar luvas durante a manipulação, higienização, entre outros.

Veja também

cachorro nutrição saúde Cães idosos com Alzheimer: Como tratar25/07/17 Após os sete anos de idade, alguns cães podem começar a apresentar comportamentos diferentes, como agressividade, fobias, ansiedade de separação, além de comportamentos compulsivos ou repetitivos. Esses são alguns sintomas associados à Síndrome da Disfunção Cognitiva, popularmente conhecida como “Alzheimer dos animais”. Nos......
Cão idoso: 10 sinais de que a velhice chegou para seu pet09/01 Falha nos sentidos, diminuição da vivacidade e problemas urinários então entre os problemas decorrentes da velhice A velhice chega para todos, inclusive para os animais. Nesta época da vida tudo fica mais......
SILIMARINA X DOENÇAS HEPÁTICAS EM CÃES E GATOS06/03 O fígado é um órgão vital que ajuda na desintoxicação do sangue e na remoção de impurezas no nosso corpo. E no caso de cães e gatos, não haveria de ser diferente. O fígado é......

Voltar para Blog